Notícias
Olimpíada solidária: evento promove acesso à leitura

Fonte: Sopa Cultural.

Até 5 de dezembro, uma competição solidária pretende mobilizar 10 mil pessoas em oito estados brasileiros. Trata-se da Olimpíada Solidária – um projeto mundial, realizado há 14 anos, com o objetivo de incentivar a leitura, a solidariedade e o aumento da frequência às bibliotecas. Cada hora que uma pessoa passar lendo ou estudando em uma das 41 bibliotecas participantes será revertida em R$ 1,00 para equipar uma nova biblioteca, localizada na comunidade Santo Amaro – Rio de Janeiro. No Brasil, o evento está sob a coordenação do Instituto Ekloos e a meta nacional é alcançar 50 mil horas de leitura.

A Olimpíada Solidária é um projeto mundial nascido em 2002 na ONG espanhola Coopera. O principal objetivo da Olimpíada é atrair pessoas de todas as idades para as bibliotecas cadastradas, seja para ler ou estudar, permitindo, assim, que milhares de outras pessoas tenham acesso ao livro e leitura. Participam da iniciativa países como Alemanha, Itália, Finlândia, Bélgica, Portugal, República Democrática do Congo, Espanha, França, Haiti, Croácia e Marrocos. No Brasil, as bibliotecas cadastradas estão situadas no Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Pará e Ceará.

Biblioteca Parque, as bibliotecas do CCBB e da PUC-Rio (Rio de Janeiro), Centro Cultural Boa Viagem (Ceará), Biblioteca Pública Arthur Vianna (Paraná), são algumas das bibliotecas participantes. A lista completa de está disponibilizada no site www.olimpiadasolidaria.com.

Leitura e conhecimento como instrumento de inclusão social

De acordo com a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada em 2015 pelo Instituto Pró-Livro e executada pelo IBOPE, 44% dos entrevistados declarou não ter lido nenhum livro nos últimos três meses. “Acreditamos que leitura e conhecimento são importantes instrumentos de empoderamento para mudança de uma realidade local e inclusão social. Através da Olimpíada Solidária, queremos envolver pessoas de todas as idades nessa “corrente do bem” e transformar horas de leitura e estudo numa nova biblioteca comunitária para o projeto Conto a Conto, primeira na comunidade Santo Amaro, no Rio de Janeiro” explica Andrea Gomides, diretora do Instituto Ekloos.

O projeto Conto a Conto foi fundado em 1998 e está localizado na subida das comunidades Santo Amaro, Tavares Bastos e Fazenda Catete. Os moradores destas comunidades têm pouco ou nenhum acesso aos livros, em especial as crianças e os jovens.  A leitura não é um hábito e a população não tem disponível uma biblioteca. Para minimizar este problema, o Conto a Conto, em parceria com pessoas da própria comunidade, iniciou uma ação que coloca em alguns espaços da comunidade, casas, associação de moradores e comércios, “sapateiras de livros”. Os moradores podem pegar um livro, ler e depois devolver para a sapateira para que posteriormente seja lido por outro morador.

“As sapateiras não são suficientes para criar o hábito da leitura – o ideal é instalar uma biblioteca na comunidade. Para mudar essa realidade, cada participante da Olimpíada Solidária irá contribuir com as suas horas de leitura e estudo, e as horas serão convertidas em Reais para a aquisição de livros, possibilitando a instalação desta biblioteca que irá beneficiar os moradores do Morro Santo Amaro” comenta Andrea Gomides.

A Olimpíada Solidária conta com o patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio do Programa de Fomento à Cultura.

 

*Foto: Reprodução.

Veja também

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

nove + oito =